Ventavis® (iloprosta via inalatória) para a HAP: terapia combinada

  • As diretrizes atuais recomendam a combinação de terapias, inicial ou sequencialmente, para o tratamento da hipertensão arterial pulmonar (HAP).1
  • Ventavis® é adequado para terapias combinadas devido ao seu efeito potente, baixo potencial para interações farmacológicas e baixo risco de efeitos colaterais sistêmicos.2-6
  • Em mais de 10 anos de experiência clínica, Ventavis® demonstrou ser eficaz e bem tolerado em combinação com todas as outras classes de terapia específi cas para a hipertensão pulmonar.2-4

Introdução

Como as terapias para hipertensão pulmonar evoluíram, os objetivos do tratamento mudaram de variações de medidas funcionais em curto prazo para redução da taxa de eventos clínicos em longo prazo.1,7 A terapia orientada para objetivos específi cos é endossada pelas diretrizes recentes para a HAP e envolve a avaliação objetiva de indicadores prognósticos como objetivo de tratamento, com o objetivo global de que os pacientes atinjam uma classificação de risco mais baixa. Essas metas de tratamento incluem:1

  • Classe Funcional da Organização Mundial da Saúde (CF da OMS) I ou II;
  • Distância caminhada no teste de caminhada de seis minutos (dTC6M) maior que 440 m;
  • Teste de exercício cardiopulmonar com pico de consumo de oxigênio superior a 15 ml/min/kg (> 65% do previsto) e equivalente ventilatório de dióxido de carbono (inclinação VE/VCO2) menor que 36;
  • Quase normalização do tamanho e da função do átrio direito, sem derrame pericárdico;
  • Medidas hemodinâmicas de pressão atrial direita inferiores a 8 mm Hg e índice cardíaco maior ou igual a 2,5 l/min/m2;
  • Normalização dos níveis séricos de BNP ( < 50 ng/l) e NT-proBNP ( < 300 ng/l).

Observações sobre o pior prognóstico de pacientes com resposta clínica inadequada à terapia inicial com agente único levaram as terapias combinadas a emergir como um tema importante para melhorar os resultados em longo prazo.8

Em pacientes com HAP, foram observados níveis elevados de endotelina plasmática e níveis mais baixos de óxido nítrico e de metabólitos da prostaciclina.9 Como essas três vias estão envolvidas com a progressão da doença, o uso combinado de medicamentos direcionados a diferentes vias é uma opção terapêutica atraente, que pode ampliar o sucesso de tratamento.9 As duas estratégias possíveis para terapias combinadas são: adicionar um novo medicamento a um tratamento em curso (combinação sequencial) ou começar o tratamento combinando terapias.

Uma metanálise recente de 35 estudos clínicos randomizados, que incluiu 6.702 pacientes com HAP, mostrou que, em comparação com a monoterapia, a combinação de terapias melhorou significativamente a capacidade de exercício, a classe funcional e medidas hemodinâmicas. No entanto, houve incidência muito maior de descontinuações devido a efeitos adversos com terapias combinadas do que com a monoterapia.10

Ventavis® via inalatória é uma opção clínica potencialmente atraente para terapia combinada.2

Como Ventavis® atua localmente, tem menos efeitos colaterais sistêmicos do que os prostanoides IV;11 também evita complicações associadas a cateteres IV permanentes por longo prazo, como infecção e trombose venosa.12 De maneira similar, enquanto os medicamentos administrados via oral têm uma via de administração conveniente, os mesmos estão associados a eventos adversos.13 Como esses compostos também têm meia-vida plasmática relativamente longa, quando ocorrem reações adversas, podem ser difíceis de reverter em pouco tempo com o tratamento oral. A terapia via inalatória para a hipertensão pulmonar pode prover efeitos seletivos para a vasculatura pulmonar, diminuindo os efeitos colaterais sistêmicos em comparação com a terapia oral.13

Ventavis® pode ser utilizado em combinação com antagonistas dos receptores da endotelina (AREs) e inibidores da fosfodiesterase tipo 5 (PDE-5).2-6


Estudos clínicos investigaram Ventavis® em combinação com:

  • bosentana2
  • sildenafila3,14,15

Além dos dados de estudos clínicos, o perfi l de efi cácia e de tolerabilidade favorável de Ventavis® quando utilizado em combinação com todas as outras classes de terapia para a HP também foi demonstrado em mais de 10 anos de experiência clínica. Ventavis® pode ser adequado como parte do regime de tratamento para a HAP tanto em terapia combinada dupla quanto tripla.

  • Galiè N, Humbert M, Vachiery J-L et al. Guidelines for the diagnosis and treatment of pulmonary hypertension. Eur Respir J 2015; 46(4): 903-75.
  • McLaughlin VV, Oudiz RJ, Frost A et al. Randomized study of adding inhaled iloprost to existing bosentan in pulmonary arterial hypertension. Am J Respir Crit Care Med 2006; 174(11): 1257-63.
  • Ghofrani HA, Wiedemann R, Rose F et al. Combination therapy with oral sildenafi l and inhaled iloprost for severe pulmonary hypertension. Ann Intern Med 2002; 136(7): 515-22.
  • Ghofrani HA, Galiè N, Grimminger F et al. Riociguat for the treatment of pulmonary arterial hypertension. N Engl J Med 2013; 369(4): 330-40.
  • Benza RL, Park MH, Keogh A et al. Management of pulmonary arterial hypertension with a focus on combination therapies. J Heart Lung Transplant 2007; 26(5): 437-46.
  • Krug S, Sablotzki A, Hammerschmidt S et al. Inhaled iloprost for the control of pulmonary hypertension. Vasc Health Risk Manag 2009; 5(1): 465-74.
  • Hill NS, Cawley MJ, Heggen-Peay CL. New therapeutic paradigms and guidelines in the management of pulmonary arterial hypertension. J Manag Care Spec Pharm 2016; 22(Suppl 3-a): S3-19.
  • Sitbon O, Sattler C, Bertoletti L et al. Initial dual oral combination therapy in pulmonary arterial hypertension. Eur Respir J 2016 [Epub ahead of print]
  • Ghofrani HA, Humbert M. The role of combination therapy in managing pulmonary arterial hypertension. Eur Respir Rev 2014; 23(134): 469-75.
  • Liu HL, Chen XY, Li JR et al. Effi cacy and safety of PAH-specifi c therapy in pulmonary arterial hypertension: a meta-analysis of randomized clinical trials. Chest 2016; 150(2): 353-66.
  • Liu QQ, Jing ZC. The limits of oral therapy in pulmonary arterial hypertension management. Ther Clin Risk Manag 2015; 11: 1731-41.
  • Gomberg-Maitland M, Olschewski H. Prostacyclin therapies for the treatment of pulmonary arterial hypertension. Eur Respir J 2008; 31(4): 891-901.
  • Safdar Z. Treatment of pulmonary arterial hypertension: the role of prostacyclin and prostaglandin analogs. Respir Med 2011; 105(6): 818-27.
  • Ghofrani HA, Rose F, Schermuly RT et al. Oral sildenafi l as long-term adjunct therapy to inhaled iloprost in severe pulmonary arterial hypertension. J Am Coll Cardiol 2003; 42(1): 158-64.
  • Gall H, Sommer N, Milger K et al. Survival with sildenafi l and inhaled iloprost in a cohort with pulmonary hypertension: an observational study. BMC Pulm Med 2016; 16:5.

Próxima:Ventavis® com um antagonista dos receptores da endotelina: estudo STEP