Farmacologia

Apesar das diferenças em sua estrutura molecular, a iloprosta apresenta perfil farmacológico semelhante ao da prostaciclina endógena.1 Entretanto, uma diferença fundamental é a maior duração da vasodilatação em comparação com a prostaciclina endógena. Estudos mostram que quando a terapia com aerossol é administrada a pacientes com HP, a potência vasodilatadora pulmonar de iloprosta é semelhante à da prostaciclina, mas seus efeitos duram até duas horas, em comparação com 10 a 25 minutos com a prostaciclina.

De forma semelhante à prostaciclina, a iloprosta age visando os três principais efeitos vasculares da HAP: vasoconstrição, remodelamento vascular e trombose, e influencia todos os principais mecanismos fisiopatológicos envolvidos na HAP.1,2

Efeitos benéficos de iloprosta na hipertensão pulmonar

A iloprosta ajuda a superar a vasoconstrição da HP. Ela mimetiza a ação da prostaciclina endógena, ativando os receptores IP nas células musculares lisas, o que libera AMPc e causa vasodilatação.1,3,4 A iloprosta também pode causar vasodilatação pela inibição da produção/aumento da depuração pulmonar de endotelina, um potente vasoconstritor endógeno abundante no plasma e nos pulmões de pacientes com HAP.5

O remodelamento vascular na HP é caracterizado pela proliferação anormal e diminuição da apoptose de células endoteliais e células musculares lisas.6,7 O efeito antiproliferativo de iloprosta foi demonstrado In vitro. A solução de Iloprosta inibiu potencialmente a proliferação induzida pelo soro de células músculares lisas das artérias pulmonares humanas durante aproximadamente 48 horas, provavelmente através de uma via dependente de AMPc.8

A ação da iloprosta contra a formação de trombose pode ser particularmente importante, uma vez que pacientes com HAP estão predispostos a desenvolver lesões trombóticas na vasculatura pulmonar.3,9 Um estudo conduzido em voluntários saudáveis (n = 10) demonstrou inibição leve mas sustentada de agregação de plaquetas e aumento dos níveis plasmáticos de AMPc após a inalação de iloprosta.10 A avaliação in vitro dos efeitos de iloprosta, prostaciclina e prostaglandina E1 na função plaquetária humana revelou que a concentração de iloprosta (0,01 μmol/l) necessária para atingir o mesmo nível de inibição da agregação plaquetária foi 10 vezes menor que a da prostaciclina (0,1 μmol/l) e 100 vezes menor que a da prostaglandina E1 (1 μmol/l).11

  • Ewert R, Schaper C, Halank M et al. Inhalative iloprost - pharmacology and clinical application. Expert Opin Pharmacother 2009; 10(13): 2195-207.
  • Gomberg-Maitland M, Olschewski H. Prostacyclin therapies for the treatment of pulmonary arterial hypertension. Eur Respir J 2008; 31(4): 891-901.
  • John J, Palevsky H. Clinical pharmacology and effi cacy of inhaled iloprost for the treatment of pulmonary arterial hypertension. Expert Rev Clin Pharmacol 2011; 4(2): 197-205.
  • Whittle BJ, Silverstein AM, Mottola DM et al. Binding and activity of the prostacyclin receptor (IP) agonists, treprostinil and iloprost, at human prostanoid receptors: treprostinil is a potent DP1 and EP2 agonist. Biochem Pharmacol 2012; 84(1): 68-75.
  • Wilkens H, Bauer M, Forestier N et al. Infl uence of inhaled iloprost on transpulmonary gradient of big endothelin in patients with pulmonary hypertension. Circulation 2003; 107(11): 1509-13.
  • Wilkins MR. Pulmonary hypertension: the science behind the disease spectrum. Eur Respir Rev 2012; 21(123): 19-26.
  • Mandegar M, Fung YC, Huang W et al. Cellular and molecular mechanisms of pulmonary vascular remodeling: role in the development of pulmonary hypertension. Microvasc Res 2004; 68(2): 75-103.
  • Clapp LH, Finney P, Turcato S et al. Differential effects of stable prostacyclin analogs on smooth muscle proliferation and cyclic AMP generation in human pulmonary artery. Am J Respir Cell Mol Biol 2002; 26(2): 194-201.
  • Farber HW, Loscalzo J. Prothrombotic mechanisms in primary pulmonary hypertension. J Lab Clin Med 1999; 134(6): 561-6.
  • Beghetti M, Reber G, de Moerloose P et al. Aerosolized iloprost induces a mild but sustained inhibition of platelet aggregation. Eur Respir J 2002; 19(3): 518-24.
  • Fisher CA, Kappa JR, Sinha AK et al. Comparison of equimolar concentrations of iloprost, prostacyclin, and prostaglandin E1 on human platelet function. J Lab Clin Med 1987; 109(2): 184-90.

Próxima:Farmacodinâmica