Avaliação do potencial cirúrgico e tratamento cirúrgico

TEAP é o principal tratamento para HPTEC

Todo os pacientes com suspeita de HPTEC devem ser encaminhados a um centro especializado para obter o diagnóstico correto e a avaliação do potencial cirúrgico. Como a tromboendarterectomia pulmonar (TEAP) é potencialmente curativa, ela é o principal tratamento para pacientes com HPTEC.1

No entanto, nem todo paciente está qualificado para a cirurgia.

Em um registro europeu de HPTEC com 679 pacientes, publicado em 2011, 247 (36,6%) foram considerados portadores de doença inoperável.2

O motivo mais comum para os pacientes do registro terem sido considerados portadores de doença inoperável foi o fato das lesões terem sido consideradas muito distais ou inacessíveis. 2

  • Inacessibilidade das oclusões, n=118/247
  • Comorbidades, n=33/247
  • Desequilíbrio entre resistência vascular pulmonar elevada (RVP) e a quantidade de oclusões acessíveis, n=25/247
  • RVP > 1500 dyn∙s∙cm-5, n=6/247
  • Idade, n=5/247
  • Outros, n=56/247
  • Dados ausentes dos pacientes, n=4/247
Todo paciente diagnosticado com HPTEC deve ser avaliado por uma equipe de especialistas em HPTEC, incluindo médicos que tratam HPTEC e cirurgiões de TEAP, para avaliar sua indicação à cirurgia por TEAP.1

A avaliação do potencial cirúrgico para TEAP é um exercício inerentemente subjetivo e depende muitíssimo da experiência e das habilidades da equipe de HPTEC e do cirurgião de TEAP.
Sempre que possível, se o paciente for inicialmente considerado portador de doença inoperável, procure pela avaliação de uma segunda equipe experiente em HPTEC. 1

Contudo, as avaliações cirúrgicas ou do potencial cirúrgico não são os únicos encaminhamentos que deverão ser realizados para pacientes com HPTEC. Encaminhamentos para cintilografia de V/Q são recomendados aos primeiros sinais de HPTEC, de modo a garantir que os pacientes sejam diagnosticados de forma adequada desde o início. 1

Tratamento clínico direcionado

O riociguate é indicado para o tratamento de pacientes adultos com HPTEC inoperável de classes funcionais II e III segundo a OMS e HPTEC persistente ou recorrente após tratamento cirúrgico para melhoria da capacidade de realização de exercícios. O riociguate é recomendado pelas diretrizes da ESC/ERS em pacientes sintomáticos que foram classificados com HPTEC persistente/recorrente após tratamento cirúrgico ou HPTEC inoperável, por uma equipe especializada em HPTEC que inclui ao menos um cirurgião com experiência em TEAP (recomendação da IB) . 3

O uso fora de prescrição de medicamentos aprovados para HAP pode ser considerado em pacientes sintomáticos que foram classificados com HPTEC inoperável por uma equipe especializada em HPTEC que inclui ao menos um cirurgião com experiência em TEAP.4

Saiba mais sobre pacientes com HPTEC inoperável ou persistente/recorrente

Você também pode estar interessado em:

  • Kim NH et al. J Am Coll Cardiol. 2013;62(suppl D):D92-D99.
  • Pepke-Zaba et al. Circulation. 2011;124:1973-1981.
  • EPAR summary
  • Ghofrani HA et al. N Engl J Med 2013;369:319-29.

Próxima:HPTEC - Avaliação para TEAP